Fechar
Metadados

%0 Book
%4 sid.inpe.br/mtc-m18@80/2009/01.26.11.17
%2 sid.inpe.br/mtc-m18@80/2009/01.26.11.17.38
%F self-archiving-INPE-MCTIC-GOV-BR
%T Ciclone extratropical ocorrido em maio de 2008 (SC e RS): gênese, evolução e avaliação das consequentes inundações com o auxílio de geotecnologias
%D 2009
%P 171
%A Sausen, Tania Maria,
%A Ferreira, Camila Cossetin,
%A Sousa Júnior, Manoel de Araújo,
%A Hansen, Marco Antonio Fontoura,
%A Pardi Lacruz, María Silvia,
%A Saito, Silvia Midori,
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@electronicmailaddress tania.sausen@crs.inpe.br
%I Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
%C São José dos Campos
%K x.
%X O alerta meteorológico emitido pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, no dia 30 de abril de 2008, informava sobre a possibilidade de formação de um ciclone extratropical na noite de sexta-feira (02/05/2008) a domingo (04/05/2008), o qual afetaria o litoral sul de Santa Catarina e o leste e nordeste do Rio Grande do Sul. A previsão era de ventos superiores a 100 km/h, elevados índices de precipitações acumuladas, descargas elétricas e mar bastante agitado, com ondas de 4 a 5 m. Este é um fenômeno freqüente nesta região, mas devido a um bloqueio atmosférico, que impediu seu deslocamento, este ciclone permaneceu próximo a costa causando muitos prejuízos. Em função disto a equipe do Núcleo de Pesquisa e Aplicação de Geotecnologias em Desastres Naturais e Eventos Extremos (GEODESASTRES-SUL) do Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais (CRS) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) passou a monitorar as imagens de satélite, de observação da Terra e meteorológicas, prevendo a possibilidade de fazer uma análise e diagnóstico do evento e conseqüentes danos, nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O objetivo deste trabalho é analisar a gênese e avaliar o evento do ciclone extratropical de maio de 2008 e de seus conseqüentes danos, por meio do uso de geotecnologias, como suporte para medidas preventivas e mitigadoras na região afetada. Para tal forma utilizados dados meteorológicos de precipitação, ventos, imagens do satélite GOES, CBERS 2 , LANDSAT e dados SRTM, o software SPRING e dados de GPS. A área de estudo compreende a porção sul do litoral do estado de Santa Catarina e a porção nordeste do estado do Rio Grande do Sul, onde 33 municípios decretaram situação de emergência em função dos prejuízos ocasionados pelo ciclone extratropical, principalmente nos dias 2 e 3 de maio de 2008. As geotecnologias mostraram-se bastante adequadas para analisar a gênese e monitoramento do ciclone extratropical ocorrido nestes dois estados bem como avaliar as conseqüentes inundações ocorridas no RS e SC e na bacia do rio dos Sinos.
%@language pt
%O Vinculado ao Projeto GEODESASTRE-SUL


Fechar