Close
Metadata

%0 Journal Article
%4 sid.inpe.br/mtc-m17@80/2007/09.28.19.34
%2 sid.inpe.br/mtc-m17@80/2007/09.28.19.34.33
%F self-archiving-INPE-MCTIC-GOV-BR
%@issn 0102-3888
%A Perez, Leticia Palazzi,
%A Kuplich, Tatiana Mora,
%A Souza, Rita de Cassya Almeida,
%A Fonseca Filho, Homero,
%@affiliation Prefeitura Municipal de Diadema
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)
%@affiliation Escola Politécnica da USP
%@electronicmailaddress <leticia.palazzi@gmail.com>
%@electronicmailaddress tmk@dsr.inpe.br
%@electronicmailaddress rcassya@dsr.inpe.br
%T Estimativa do desmatamento no município de Cruzeiro do Sul, Acre, no período de 1985 a 2003
%B Geografia (Londrina)
%D 2007
%V 32
%N 2
%8 maio/agosto
%K Amazônia, desmatamento, classificação, sensoriamento remoto.
%X O desmatamento no Estado do Acre teve início a partir da segunda metade do século XIX, quando populações não indígenas começaram a ocupar a região para exploração da borracha. Quando o ciclo da borracha retraiu, ocorreu o êxodo rural, com conseqüente inchaço das áreas urbanas e aumento do desmatamento. Já nas décadas de 1960 a 1980, com políticas governamentais de integração do país, a conversão da floresta para outros usos, principalmente agrícolas e pecuários, foi acelerada. O município de Cruzeiro do Sul, localizado no noroeste do Estado do Acre, sofre, como o restante do Estado e de toda a Amazônia Legal Brasileira, com o desmatamento da floresta. Mesmo não sendo um representante dos municípios que mais sofrem com o desmatamento na Amazônia Brasileira, Cruzeiro do Sul serve como exemplo de município não sujeito à forte pressão de desmatamento e uso, mas que , ainda assim, acumula uma área desmatada sempre crescente.Neste contexto, este trabalho teve por objetivo estimar a área desmatada no município de Cruzeiro do Sul, entre os anos de 1985 e 2003, bem como verificar a existência de alguma direção preferencial para o desmatamento observado. Para tal, foi utilizada a metodologia do PRODES (Projeto de Estimativa do Desmatamento Bruto da Amazônia), que consiste na utilização de imagens de sensoriamento remoto para mapear e estimar o desmatamento bruto na Amazônia Legal Brasileira, realizada pelo INPE desde 1988. O diferencial deste trabalho reside na utilização de metodologia apoiada em técnicas digitais de interpretação de imagens para toda a série temporal de dados. Os resultados demonstram um desmatamento crescente no município de Cruzeiro do Sul, com aumento de 2,31% para 5,56% do total do município entre 1985 e 2003. Os períodos de maior desmatamento ocorreram entre 1988 a 1991 e entre 1997 e 2003, coincidindo com as políticas de ocupação do território e suas conseqüências.
%P 475-486
%@language pt
%3 perez_estimativa.pdf


Close